O Livro dos Espíritos

Allan Kardec

Voltar ao Menu
927. Não há dúvida que, à felicidade, o supérfluo não é indispensável, porém o mesmo não se dá com o necessário. Ora, não será real a infelicidade daqueles a quem falta o necessário?

“Verdadeiramente infeliz o homem só o é quando sofre a falta do necessário à vida e à saúde do corpo. Todavia, pode acontecer que essa privação seja de sua culpa, caso em que só tem que se queixar de si mesmo. Se for ocasionada por outrem, a responsabilidade recairá sobre aquele que lhe houver dado causa.”

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...