Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1861

Allan Kardec

Voltar ao Menu
SEXTA-FEIRA, 16 DE NOVEMBRO DE 1860 SESSÃO PARTICULAR
Admissão de dois novos membros.

Comunicações diversas:

1.º ─ Leitura de várias dissertações recebidas fora de sessão.

2.º ─ Carta do Sr. de Porry, de Marselha, que faz presente, à Sociedade, da segunda edição de seu poema intitulado Uranie. A Sociedade agradece ao autor, por lhe haver permitido apreciar o seu talento e sente-se feliz por vê-lo aplicar-se às ideias espíritas. Revestidas da graciosa forma poética, estas ideias têm um encanto que as torna mais facilmente aceitáveis por aqueles a quem poderia chocar a severidade da forma dogmática.

3.º ─ Carta do Sr. L..., que dá novos detalhes sobre o Espírito batedor e obsessor, do qual a Sociedade já se ocupou. (Ver o relatório a seguir).

4.º ─ Carta das senhoras G..., do departamento de Indre, sobre as travessuras e depredações de que são vítimas há vários anos, e que atribuem a um Espírito malévolo. Trata-se de seis irmãs e, a despeito de todas as precauções por elas tomadas, suas roupas são tiradas das gavetas dos móveis, ainda que fechados a chave, e muitas vezes são rasgadas.

5.º ─ Relata o Sr. Th... um caso de obsessão violenta exercida sobre um médium por um mau Espírito, ao qual, entretanto, ele conseguiu dominar e expulsar. Dirigindo-se ao Sr. Th..., esse Espírito escreveu: “Odeio-te, porque me dominas”. Desde então não mais apareceu e o médium não mais foi molestado no exercício de sua faculdade.

6.º ─ O Sr. Allan Kardec cita um caso pessoal, de indicação dada pelos Espíritos, notável por sua precisão: numa conversa tida na véspera com seu Espírito familiar, disse-lhe ele: “Encontrarás no Le Siècle de hoje um longo artigo sobre este assunto e que responde à tua pergunta. Fomos nós que inspiramos ao seu autor a tese por ele exposta, pelo fato de ele se ligar às grandes reformas humanitárias que se preparam.” Esse artigo, do qual nem o Sr. Kardec nem o médium tinham conhecimento, realmente se encontrava no referido jornal, sob o título designado, prova de que os Espíritos podem estar a par das publicações terrenas.

TRABALHOS DA SESSÃO. Ensino espontâneo. Comunicação pelo Sr. A. Didier, assinada por Cazotte. ─ Outra, pela Sra. Costel, contendo lamentações de um Espírito sofredor e egoísta.

Evocações:

Segunda conversa com o Espírito gastrônomo que tomou o nome de Balthazar, e que alguém julgou identificar como sendo o do Sr. G... de la R..., o que foi confirmado pelo Espírito.

Questões diversas:

Perguntas dirigidas a São Luís sobre o Espírito batedor ao qual se refere a carta do Sr. L..., bem como sobre o Espírito depredador das senhoras G... Em relação a este último, ele disse que será mais fácil doutriná-lo, de vez que é mais brincalhão do que mau.


SEXTA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO DE 1860 SESSÃO GERAL
Comunicações diversas:

Leitura de algumas mensagens obtidas fora de sessão:

Entrada de um culpado no mundo dos Espíritos, recebido pela Sra. Costel, assinada por Novel.

O castigo do egoísta, pela mesma senhora. Esta mensagem se relaciona com outra do mesmo Espírito, obtida em sessão anterior.

Outra sobre o livre-arbítrio, assinada por Marsillac. Reflexões do Espírito de Verdade sobre as comunicações relativas ao castigo do egoísta, recebidas pelo Sr. M. C...

TRABALHOS DA SESSÃO

Ensino espontâneo:

1.º ─ O duende familiar, assinado por Charles Nodier, recebido pela Sra. Costel.

2.º ─ Parábola de Lázaro, assinada por Lamennais, recebida pelo Sr. A. Didier.

3.º ─ O Espírito de Alfred de Musset apresenta-se, através da senhorita Eugénie; propõe-se tratar de um assunto à escolha da assistência; deixada a escolha ao seu critério, faz notável dissertação sobre as consolações do Espiritismo. Oferecendo-se para responder a perguntas, trata dos seguintes temas: Qual a influência da poesia sobre o Espiritismo? ─ Haverá uma arte espírita, do mesmo modo que houve uma arte pagã e uma arte cristã? ─ Qual a influência da mulher no século XIX?

Evocações:

Evocação de Cazotte, que se manifestou espontaneamente na sessão anterior. Foram-lhe feitas várias perguntas sobre o dom de previsão que em vida ele parecia possuir.

Questões e problemas diversos:

Sobre a ubiquidade dos Espíritos nas manifestações visuais.

Sobre os Espíritos das trevas, a propósito das manifestações do Sr. Squire, que só se produzem na obscuridade.

NOTA: Trataremos dessa questão em artigo especial, referindo-nos ao Sr. Squire.

O Sr. Jobard lê três encantadoras poesias de sua lavra: Le Bonheur des Martyrs, L’Oiseau de Paradis e L’Annexion, esta última, uma fábula.


SEXTA-FEIRA, 30 DE NOVEMBRO DE 1860 SESSÃO PARTICULAR
Assuntos administrativos:

Carta coletiva, assinada por vários sócios, relativamente à resposta do Sr. L... A Sociedade aceitou as conclusões do parecer da comissão.

Carta do Sr. Sol..., pedindo demissão do cargo de membro da comissão, por motivo das viagens que o afastam de Paris durante a maior parte do ano.

A Sociedade lamenta a deliberação do Sr. Sol... e sente-se feliz em poder conservá-lo como sócio. Fica o Sr. Presidente encarregado de responder nesses termos: A substituição na comissão será feita oportunamente.

Comunicações diversas:

1.º ─ Ditado espontâneo assinado por São Luís, contendo explicações sobre a ubiquidade. Discussão sobre esta comunicação.

2.º ─ Outro, assinado por Charles Nodier, obtido através de um médium estranho à Sociedade e transmitido pelo Sr. Didier, pai, a respeito do artigo do Journal des Débats contra o Espiritismo.

3.º ─ O Sr. D..., do departamento da Vienne, pede insistentemente seja evocado o Sr. Jean-Baptiste D..., seu sogro. A Sociedade jamais atende a tais solicitações, desde que estas encerrem apenas um interesse privado, sobretudo quando ausentes as pessoas interessadas e quando estas não são conhecidas pessoalmente. Entretanto, à vista do caráter digno e da posição oficial do correspondente; das circunstâncias particulares que marcavam o morto e do seu ateísmo professado durante toda a vida, pensa a Sociedade que tal evocação pode ser útil assunto de estudo. Em consequência, o inclui na ordem do dia.

4.º ─ Vários membros relatam um interessante fenômeno de manifestação física por eles testemunhado. Consiste na elevação de uma pessoa, por influência mediúnica de duas mocinhas de 15 e 16 anos que, pondo dois dedos nas barras da cadeira, a elevam a cerca de um metro, seja qual for o seu peso, do mesmo modo que o fariam com o mais leve dos corpos. Esse fenômeno foi repetido várias vezes, sempre com a mesma facilidade.

Dar-lhe-emos a explicação em artigo especial.

5.º ─ O Sr. Jobard lê um artigo de sua autoria, sob o título de La Conversion d’un paysan.



TRABALHOS DA SESSÃO

Ensino espontâneo:

Dissertação sobre a ubiquidade, pela Srta. Huet, assinada por Channing.

Outra, pelo Sr. A. Didier, assinada por André Chénier, sobre o artigo no Journal des Débats.

Outra, assinada por Raquel, dada através da Sra. Costel.

Fato digno de nota, lembrado a propósito das duas primeiras comunicações, é que, quando um assunto de certa importância se acha na ordem do dia, é muito comum vê-lo tratado por vários Espíritos através de médiuns e lugares diferentes. Parece que, interessando-se pela questão, cada um deseja contribuir para o ensino decorrente de tais comunicações.

Evocações:

1º. ─ Do Sr. Jean-Baptiste D..., referida pouco antes, e seu irmão, ambos materialistas e ateus. A situação do primeiro, aliás suicida, é extremamente deplorável.

2.º ─ Evocação do Sr. C... de B..., de Bruxelas, a pedido do Sr. Jobard, que o conhecera pessoalmente.


SEXTA-FEIRA, 7 DE DEZEMBRO DE 1860 SESSÃO PARTICULAR
Admissão do Sr. C..., professor em Paris, como sócio livre.

Comunicações diversas:

Leitura de uma dissertação assinada pelo Espírito de Verdade, obtida em sessão particular, em casa do Sr. Allan Kardec, a propósito da definição de arte e da distinção entre arte pagã, arte cristã e arte espírita.

O Sr. Theub... completa essa definição, dizendo que pode considerar-se a arte pagã como expressão do sentimento material; a arte cristã como expressão da expiação e a arte espírita como expressão do triunfo.

TRABALHOS DA SESSÃO

Ensino espírita espontâneo

Através do Sr. A. Didier, dissertação assinada por Lamennais.

Outra, pela Srta. Huet, assinada por Charles Nodier, na qual continua a desenvolver o tema iniciado a 24 de agosto de 1860, embora ninguém lhe tivesse guardado a lembrança e pudesse recordá-lo.

Outra, através da Sra. Costel, assinada por Georges.

Evocações:

Do Dr. Kane, viajante americano e explorador do polo norte, o qual descobriu um mar livre de gelos, além da cintura glacial. Apreciação muito justa, da parte do Espírito, quanto aos resultados de tal descoberta.

Questões diversas:

Perguntas dirigidas a Charles Nodier sobre as causas que podem influir na natureza das comunicações em certas sessões, notadamente nesse dia, em que os Espíritos não tiveram a sua eloquência habitual. Discussão desse ponto.


SEXTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO DE 1860 SESSÃO GERAL

O Sr. Indermuhle, de Berna, homenageia a Sociedade com umabrochura alemã publicada em Glaris, em 1855, intitulada L’Éternité n’est plus un secret ou Révélations les plus évidentes sur le monde des Espirits[1].



Comunicações diversas:

1.º ─ Leitura de uma evocação muito interessante e de várias dissertações espíritas obtidas fora das sessões.

2.º ─ O fato da manifestação visual referido na carta do Sr. Indermuhle à Sociedade.

3.º ─ Fato pessoal ocorrido com o Sr. Allan Kardec, e que pode ser considerado uma prova de identidade do Espírito de antigo personagem. A Srta. J... recebeu várias comunicações de João Evangelista, sempre com uma caligrafia muito característica e completamente diversa da sua escrita habitual. Tendo o Sr. Allan Kardec, a seu pedido, evocado aquele Espírito, por intermédio da Sra. Costel, verificou-se que a caligrafia tinha absolutamente o mesmo caráter da Srta. J..., embora a nova médium dela não tivesse conhecimento; ademais, o movimento da mão tinha uma delicadeza inabitual, o que constituía, ainda, uma similitude; enfim, as respostas concordavam em todos os pontos com as que tinham sido dadas através da Srta. J... e na linguagem nada havia que não estivesse à altura do Espírito evocado.

4.º ─ Notícia remetida pelo Sr. D..., sobre o caso notável de um agricultor que teve uma visão e uma revelação poucos dias antes de morrer.

TRABALHOS DA SOCIEDADE

Comunicações espíritas espontâneas:

Os três tipos: Hamlet, Tartufo e Don Juan, mensagem pelo Sr. A. Didier, assinada por Gérard de Nerval.

Fantasia, através da Sra. Costel, assinada por Alfred de Musset.

O julgamento, pela Srta. Eugênia, assinado por Leão X.

Evocação do agricultor, do qual falamos pouco acima. Ele dá algumas explicações sobre suas visões. Uma particularidade notável é a ausência de qualquer ortografia e uma linguagem inteiramente semelhante à da gente do campo.

Questões diversas dirigidas a São Luís, sobre os fatos relacionados com a mencionada evocação.


TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...