Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1862

Allan Kardec

Voltar ao Menu
Venha! Venha! Caro Dr. Imbroglio;

A prancheta anda só: é patente, tangível. ─ Bobagem! Vou provar, escrevendo um in-fólio Que isso é batota! Isso é impossível.

Faremos uma observação sobre a qualificação dada ao Espírito que ditou as poesias a que nos referimos acima.

Com razão, os Espíritos sérios repelem o qualificativo de batedores, pois esse título convém apenas àqueles que poderiam ser chamados batedores profissionais, Espíritos levianos ou malévolos que se servem de pancadas para divertir ou atormentar, e que não se preocupam com as coisas sérias. Mas a tiptologia é, como qualquer outro, um meio para comunicações inteligentes e dela se servem os Espíritos mais adiantados, em falta de outro meio, posto prefiram a escrita, porque responde melhor à rapidez do pensamento. É certo dizer que nesse caso não são eles que batem. Eles se limitam a transmitir, deixando a execução material a Espíritos subalternos, como um estatuário deixa ao prático o trabalho de talhar o mármore.


A carta seguinte foi dirigida pelo Sr. Jaubert ao Sr. Sab , de Bordeaux. Temos o prazer de publicá-la como prova dos laços que se estabelecem entre os espíritas das várias localidades e para edificação dos timoratos.

Senhor,

Sou sensível à vossa carta. Aceito com satisfação o título que me confere a Sociedade Espírita de Bordeaux. Aceito-o como recompensa por meus fracos trabalhos, por minha profunda convicção e ─ por que não dizê-lo? ─ pelas amarguras passadas.

Ainda hoje a nova fé é muito mal compreendida. Os cientistas se insurgem; os ignorantes os acompanham; o clero grita que é o demônio, e alguns convictos guardam silêncio. Neste século de materialismo, de apetites grosseiros, de guerras fratricidas, de apego cego e imoderado aos reinos deste mundo, Deus intervém: os mortos falam, nos encorajam, nos arrastam. Por isso cada um de nós deve, sem medo, inscrever seu nome na bandeira da causa santa.

Somos sempre os soldados do Cristo. Proclamamos a grandeza, a imortalidade da alma, os laços palpáveis que ligam os vivos aos mortos; pregamos o amor e a caridade. Que temos a temer dos homens? Ser fraco é ser culpado. Eis por que, senhor, na medida de minhas forças, aceitei a tarefa que Deus e minha consciência me impõem. Ainda uma vez, obrigado por me haverdes admitido entre vós. Sede meu intérprete junto a todos os irmãos de Bordeaux e recebei a certeza dos meus mais afetuosos sentimentos.


J. JAOBERT

Vice-Presidente do Tribunal Civil


OBSERVAÇÃO:O Espiritismo conta hoje numerosos adeptos nas fileiras da magistratura e da advocacia, bem como entre funcionários públicos. Mas nem todos ousam enfrentar a opinião pública. Esse medo, aliás, diminui dia a dia e, em pouco tempo, os trocistas ficarão surpreendidos por terem posto no rol dos loucos, sem acanhamento, tantos homens recomendáveis por suas luzes e por sua posição social.

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...