Revista Espírita - Jornal de estudos psicológicos - 1865

Allan Kardec

Voltar ao Menu
O cardeal Wiseman


A Patrie de 18 de março de 1865 relatava o seguinte:

“O Cardeal Wiseman, que acaba de falecer na Inglaterra, acreditava no Espiritismo. É o que prova o fato seguinte, citado pelo Spiritualist Magazine.

“Um bispo tinha lançado a interdição sobre dois membros de sua igreja, por causa de sua tendência para o Espiritismo. O cardeal suspendeu essa interdição e permitiu que os dois sacerdotes continuassem seus estudos e servissem como médiuns, dizendo-lhes: “Eu mesmo creio firmemente no Espiritismo e não poderia ser um bom membro da Igreja se tivesse a menor dúvida a respeito.”

Esse artigo tinha sido lido e comentado numa reunião espírita em casa do Sr. Delanne, mas hesitavam em evocar o cardeal, quando ele se manifestou espontaneamente pelas duas comunicações seguintes:

I

Vosso desejo de me evocar me trouxe a vós e estou contente por vir dizer-vos, meus irmãos bem-amados, que sim, na Terra eu era espírita convicto. Tinha vindo com essas aspirações que não pude desenvolver, mas me sentia feliz por vê-las desenvolvidas por outros. Eu era espírita porque o Espiritismo é o caminho reto que conduz ao verdadeiro objetivo e à perfeição; eu era espírita porque reconhecia no Espiritismo a realização de todas as profecias, desde o começo do mundo até os nossos dias; eu era espírita porque esta doutrina é o desenvolvimento da religião, o esclarecimento dos mistérios e a marcha da Humanidade inteira para Deus, que é a unidade; eu era espírita porque compreendi que esta revelação vinha de Deus e que todos os homens sérios deviam ajudá-la a avançar, a fim de um dia poderem todos dar-se as mãos benévolas; eu era espírita, enfim, porque o Espiritismo não lança anátema sobre ninguém e, a exemplo do Cristo, nosso divino modelo, ele abre os braços a todos, sem distinção de classe e de culto. Eis por que eu era espírita cristão.

Ó meus bem-amados irmãos! Que imensa graça o Senhor concede aos homens em lhes enviando esta luz divina que lhes abre os olhos e lhes faz ver de maneira irrecusável que além do túmulo existe mesmo outra vida e que, em vez de temer a morte, quando se viveu segundo os desígnios de Deus, deve-se abençoá-la quando vem libertar um de nós das pesadas cadeias da matéria.

Sim, essa vida que se prega constantemente de maneira tão horripilante existe, mas nada tem de penosa para as almas que na Terra observaram as leis do Senhor. Sim, lá encontramos aqueles que amamos na Terra; é a mãe bem-amada, uma terna mãe que vos vem felicitar e receber; são amigos que vos vêm ajudar a vos reconhecerdes, em vossa verdadeira pátria, e que vos mostram todos os encantos da vida verdadeira, dos quais os da Terra não passam de tristes imagens.

Perseverai, meus irmãos bem-amados, em marchar na via abençoada do Espiritismo; que para vós isto não seja uma palavra vã; que as comunicações que recebeis vos ajudem a subir o rude calvário da vida, a fim de que, chegados ao topo, possais ir colher os frutos de vida que para vós próprios tiverdes preparado.

É o que vos almejo, a vós todos que me escutais e a todos os meus irmãos em Deus. Aquele que foi o cardeal Wiseman.

(Médium :Sra. Delanne)


II

Meus amigos, por que não viria eu a vós? Os sentimentos expressos quando eu estava em vossa Terra, e que devem ser os de todos os servos de Deus e da verdade, devem ser, para todo espírita convicto, uma segurança de que usarei da graça que o Senhor me concede de vir instruir e guiar meus irmãos.

Oh! Sim, meus amigos, é com satisfação e reconhecimento por aquele a quem tudo devemos, que vos venho exortar, vós que tendes a felicidade de ser admitidos entre os obreiros do Senhor, a perseverardes na via em que estais empenhados. Ela é, senão a única, pelo menos a melhor, porque se uma parte da Humanidade pode construir a sua salvação com a fé cega, sem cair nos embustes e nos perigos que ela oferece, com mais forte razão aqueles cuja fé tem por base a razão e o amor a Deus, que nós vos fazemos conhecer tal qual ela é, devem chegar a conquistar a vida eterna no seio desse mesmo Deus.

Filhos, inclinai-vos, curvai a cabeça, porque o vosso Deus, vosso pai, vos abençoa. Glorificai-o e amai-o na eternidade!

Oremos juntos.

WISEMAN, assistido por Santo Agostinho (Médium: Sr. Erambert, de Aix).


Estas duas comunicações foram ditadas simultaneamente, o que explica a assistência de Santo Agostinho na última. Enquanto Wiseman fazia um médium escrever, Santo Agostinho fazia escrever outro, ao qual transmitia o pensamento do cardeal. Muitas vezes veem-se Espíritos pouco adiantados, ou ainda perturbados, não podendo exprimir-se sem a ajuda de um Espírito mais elevado; mas aqui não é o mesmo caso: Wiseman é bastante desprendido para exprimir suas próprias ideias.

Ambas as comunicações foram obtidas a 24 de março, na Sociedade de Paris, sem evocação, após a leitura das precedentes. A quarta é uma apreciação dos fatos acima, pelo Espírito de Lamennais.


III

Meus amigos, venho confirmar minha comunicação de segunda-feira. Estou feliz por vir a um meio onde teria muito a dizer e onde estou certo de ser compreendido. Oh! Sim, será uma grande felicidade para mim ver desenvolver-se, aos olhos do mestre, o progresso da doutrina santa e regeneradora que deve conduzir o mundo inteiro a seu destino divino.

Amigos, uni vossos esforços na obra que nos é confiada e sede reconhecidos pelo papel que o Criador de todas as coisas vos confiou. Jamais poderíeis fazer bastante para reconhecer a graça que ele vos concede. Mas a vossa boa vontade será levada em conta, como a vossa fé, a vossa caridade e o amor pelos vossos irmãos.

Bendizei-o, amai-o e tereis a vida eterna. Oremos juntos, meus caros amigos.

WISEMAN (Médium: Sr. Erambert, de Aix)



IV

A religião espiritualista é a alma do Cristianismo, é preciso não esquecer. Em meio do materialismo, do culto protestante e do católico, o cardeal Wiseman ousou proclamar a alma antes do corpo, o espírito antes da letra. Essa espécie de coragem é rara nos dois cleros, e é um espetáculo incomum, com efeito, o ato de fé espírita do cardeal Wiseman. Aliás, seria estranho que um Espírito tão culto, tão elevado quanto o do eminente cardeal tivesse visto no Espiritismo uma fé rebelde aos ensinos da mais pura moral do Cristianismo; nós, espíritas, nunca aplaudiríamos demais essa confiança afastada de todo respeito humano, de todo escrúpulo mundano. Não é um encorajamento a voz desse agonizante tão distinto? Não é um anúncio para o futuro, uma certeza de que com a boa vontade tão pregada pelo Evangelho, só há uma verdade contida na prática da caridade e na crença na imortalidade da alma? Outras vozes não menos sagradas diariamente proclamam nossa verdade imortal. É um hosannah sublime que cantam os homens visitados pelo Espírito, hosannah tão puro, tão entusiasta quanto o das almas visitadas por Jesus.

Nós mesmos, almas em sofrimento, não afastemos de nós a lembrança que nos chega, e no purgatório que suportamos, escutemos as vozes dos que nos fazem ver o além.

LAMENNAIS (Médium: Sr. A. Didier)

TEXTOS RELACIONADOS

Mostrar itens relacionados
Aguarde, carregando...